Mercedes-AMG: diferenciais da divisão esportiva da montadora alemã e seus motores de altíssima performance

Mercedes-AMG: diferenciais da divisão esportiva da Mercedes
26/02/2021


Mercedes-AMG significa excelente performance em todos os sentidos. Se você ama velocidade e adrenalina, os veículos da marca são a escolha perfeita.

Ela se destaca quando o assunto é esportividade, diversão, conectividade, performance e design. O resultado são veículos diferentes de tudo que você já sentiu! 


O que é Mercedes-AMG? 

Mercedes-AMG é a divisão esportiva da Mercedes-Benz e que é responsável pelo desenvolvimento de veículos e motores esportivos de altíssima performance

A empresa foi criada em 1967 com o objetivo de transformar os veículos da montadora alemã em carros de competição. Inclusive, a sigla AMG é uma homenagem aos seus fundadores, dois ex-funcionários da Mercedes, Hans Werner Aufrecht, Erhard Melcher e da cidade natal de Melcher, Großaspach.



Diferenciais dos veículos Mercedes-AMG

A combinação e coordenação perfeitas de todos os componentes dão origem a um veículo que não só é um deleite para dirigir na estrada, mas também é capaz de se afirmar na pista de corrida. Esse é o espírito dos veículos Mercedes-AMG.

Afinal, quão diretamente a aceleração pode ser sentida? Com um Mercedes-AMG, é uma experiência física tangível: direta, poderosa e impressionante. 

Conheça um pouco mais sobre os detalhes que tornam essa a linha de veículos esportivos mais reconhecida do mundo. 


“One man, one engine”

Cada Mercedes-AMG é desenvolvido e construído em sua totalidade em Affalterbach, na Alemanha. Toda a montagem do motor, desde o torque de cada parafuso, até a instalação dos anéis, bronzina e retentor, tudo é realizado por um único engenheiro. 

É o que a Mercedes chama de “one man, one engine” (um homem, um motor), a filosofia que garante ainda mais exclusividade, excelência e precisão em cada um dos veículos da linha.

Afinal, a montagem de cada Mercedes-AMG é feita manualmente, com o máximo de atenção e cuidado, tudo para garantir o desempenho máximo e longevidade do conjunto mecânico.

São mais de 60 engenheiros-artesãos na seção de montagem de motores da fábrica da AMG, em Affalterbach. Para a elaboração do super motor, são necessárias cerca de 23 etapas, que podem levar até 6 horas para finalização. Quando finalizado, o motor recebe uma plaqueta com o nome redigido à mão pelo engenheiro responsável. 

Portanto, os motores Mercedes-AMG são exemplares únicos. São obras-primas tecnológicas e leves que liberam uma enorme quantidade de energia com máxima eficiência energética.




Atenção aos mínimos detalhes

De modo a garantir a melhor performance e vida útil para o Mercedes-AMG, cada peça é aferida individualmente pelo sistema AMG Trace. Este cataloga cada unidade e faz o cruzamento com as próprias ferramentas: os parafusos que prendem um cabeçote ao bloco, por exemplo, precisam ser torqueados em uma sequência específica, demonstradas num monitor que fica próximo ao engenheiro. 

No caso de haver algum problema, a tela identifica o componente mal ajustado no mesmo instante. As próprias ferramentas são monitoradas pelo AMG Trace – no caso de uma delas apresentar falha funcional com certa constância, é imediatamente substituída ou recalibrada.


Testes de motor

Depois da montagem do motor, ele é submetido a ao menos dois testes: um de pressão, para procura de possíveis vazamentos, e um que a AMG chama de “teste frio”, no qual o motor trabalha em rotação lenta em uma bancada de testes. Ele não é ligado. 

Os componentes internos funcionam de forma passiva, movidos por uma conexão externa ao volante do motor. Este teste é suficiente para detectar o funcionamento da parte elétrica e eletrônica, hidráulica e balanceamento. Considerando todo o rigor nas etapas de montagem, não é de surpreender que um motor nunca tenha sido reprovado nesta etapa.


Motores com alma

A oficina de motores da Mercedes-AMG está produzindo atualmente dois motores V8 de alto desempenho: o M 177 bi turbo movido a gasolina usado nos atuais 63 modelos, e o M 178, o coração pulsante da família GT. 

Cada um deles pesa cerca de 200 quilos e são feitos de cerca de 600 peças diferentes, que são montadas manualmente em quatro a cinco horas. Depois disso, os V8s estão prontos para serem enviados às fábricas da Mercedes-Benz, onde os modelos AMG são produzidos em todo o mundo.


Leia também: 7 tecnologias automotivas da Mercedes-Benz